Retinopatia Diabética

O que é?

A Retinopatia Diabética é uma manifestação ocular da diabetes e uma das principais causas de cegueira na população portuguesa. No entanto, muitos casos poderiam ser evitados com exames Oftalmológicos e Optométricos regulares, seguido do adequado tratamento.
Esta doença é provocada por alterações nos vasos sanguíneos que se encontram na retina (membrana interna do olho que contém as células fotossensíveis, cones e bastonetes, responsáveis pela Visão).
Os vasos alterados deixam sair líquido e sangue para a retina levando à diminuição grave da visão.

 

Sinais e Sintomas:

A Retinopatia Diabética é uma doença que evolui de forma silenciosa e o seu portador não se apercebe do risco que corre… inclusive de cegueira.
Esta doença pode evoluir sem a percepção do doente, sendo de extrema importância o rastreio e monitorização dos grupos de risco, não somente diabéticos, mas também os que tenham antecedentes de diabetes na família, permitindo assim, a deteção de alterações patológicas antes de se dar alguma lesão irreversível, nomeadamente:

  • Visão turva, maior dificuldade a ler ou a conduzir e pode começar a sentir dificuldade em reconhecer as pessoas.
  • Pontos negros ou flutuantes no campo de visão (“moscas” ou “teias de aranha”).
  • Flash de luzes ou perda súbita da visão.

 

Factores de Risco:
  • Factores genéticos;
  • Duração da diabetes;
  • Hipertenção arterial;
  • Níveis elevados de glicémia;
  • Elevados valores de colesterol, lípidos, triglicéridos;
  • Tabagismo;
  • Obesidade.

 

Prevenção:

É possível manter uma boa visão através da detecção precoce.
A monitorização e tratamento é extremamente importante para evitar danos permanentes na retina, que podem causar, desde cegueira pouco perceptível até à cegueira total.
O rastreio, como precaução, deve ser realizado anualmente nos diabéticos.

 

Tratamento:

Todo o diabético deve ser alertado para o controlo da glicemia, tensão arterial, perfil lipídico e evitar fatores de risco como a obesidade.
Quando a Doença está em fase inicial, pode não ser necessário realizar nenhum tratamento. Quando este se torna necessário, o diabético terá uma orientação terapêutica adequada a cada situação clínica.
A Retinopatia Diabética é uma doença crónica. O seu tratamento não cura, mas ajuda a controlar o seu desenvolvimento através de avaliações periódicas que permitam detectar a existência de alterações a nivel retiniano.